Geologia: alimento para a nossa imaginação

DIA DA TERRA. Neste dia resolvi falar-vos um pouco sobre como a geologia alimenta a nossa imaginação através das suas geoformas. Para além do interesse científico, muitas delas, dada a sua particularidade e beleza, estimulam a nossa curiosidade, transformando-se em locais com elevado potencial turístico.

As múltiplas formas do granito

Frequentemente, estas formas geológicas estão associadas a paisagens graníticas, nomeadamente, blocos que fazem lembrar animais (zoomórficos) ou partes do corpo humano (antropomórficos). O padrão de fraturação ortogonal (fraturas perpendiculares entre si) dos granitos constitui uma das principais características na génese deste tipo de blocos. Sobretudo a ação da água, mas também do vento e da temperatura, juntamente com o tempo (muuuuuuito tempo), vai atuando como um autêntico escultor. O cinzel desse escultor vai abrindo caminho, acompanhando a resistência e características da rocha, criando as formas que tanto estimulam a nossa imaginação.

Geologia e geoformas do Granito
As múltiplas formas dos granitos. Da direita para esquerda e de cima para baixo: a Cabeça do Cão na Serra do Caramulo. Pedras Boroa na Serra da Freita. Cabeça de Guerreiro na Serra da Penoita. Tartaruga no Brasil. Pénis e pessoa sorridente na Serra do Caramulo.

Outras geoformas por Portugal e pelo Mundo

No entanto, não só os granitos têm a patente e o poder sobre a nossa imaginação. Lembro, por exemplo, a Livraria do Mondego, fazendo lembrar uma estante de livros de quartzito de um qualquer gigante. Ou o porta-aviões margo-calcário, encalhado nas arribas do Cabo Mondego. Aqui a história geológica e a tectónica de placas dominam a mão do escultor verticalizando as camadas de rocha.

Geologia e geoformas em rochas metamórficas e sedimentares
Geoformas em rochas metamórficas e sedimentares. Da direita para a esquerda: Livraria do Mondego e Porta-aviões do Cabo Mondego.

Outras formas existem, algumas delas mundialmente famosas, que acabam por batizar os locais onde se encontram. A cidade maravilhosa do Rio de Janeiro é um excelente exemplo. A forma como os granitos e gnaisses foram esculpidos deram origem a uma cidade única, com inúmeros morros a incorporarem no seu nome a imaginação dos povos. O Pão de Açucar é talvez um dos exemplos mais emblemáticos. O mais famoso dos “pães de açucar”, cuja forma faz lembrar as formas cónicas de barro que transportavam o açucar durante a época dos descobrimentos. 

Estes são apenas alguns exemplos, entre tantos outros existentes por esse mundo fora. São uma prova da dinâmica da Terra e dos seus processos geológicos. São reveladores da curiosidade e fascínio que a Terra, e algumas das suas geoformas, exerceram e continuam a exercer sobre a humanidade.

Feliz Dia da Terra.

Geologia e geoformas pelo mundo
A Terra e as suas geoformas. Da direita para esquerda e cima para baixo: Morro do Pão de Açucar no Rio de Janeiro. Geodiversidade no Parque Nacional Los Glaciares, na Argentina. Deserto rochoso na Líbia. Serra da Canastra no Brasil. A ilha do Faial desde o Piquinho. A Pedra do Baú no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published.