KEEP CALM é só Geoturismo

Pouco antes do covid-19 revirar as nossas vidas,  um casal de viajantes muito simpático mostrou alguma preocupação com a possibilidade de fazerem geoturismo. Como se fosse algo muito específico, difícil de entender, que iria abordar temas complexos de geologia. O roteiro que escolheram fazer, tal como grande parte dos roteiros da Outcrop, enquadrava-se no conceito de Geoturismo. Tentei sossegá-los dizendo-lhes que não iria ser um bicho de sete cabeças: KEEP CALM é só geoturismo.

Geoturismo Aldeias de Xisto
Aldeias de Xisto da Serra da Lousã

Então o que é isto de Geoturismo?

O conceito é relativamente recente, começando a ser mais difundido a partir de finais do século XX. Nessa altura o Geoturismo surgia como uma vertente do turismo que permitiria às pessoas conhecerem aspetos da geologia e geomorfologia de uma determinada região, indo além do seu valor paisagístico. Já no início do século XXI (Junho de 2000), surge a Rede Europeia de Geoparques, na altura constituída por apenas 4 geoparques. Há precisamente 20 anos, em Abril de 2001, a Rede Europeia de Geoparques assina um acordo de cooperação com a Unesco. Seria o início de um número crescente de geoparques mundiais classificados pela Unesco (Unesco Global Geoparks). Atualmente esta rede é composta por 161 geoparques, 5 dos quais em Portugal, sendo o Geopark Estrela um dos últimos a ser classificado. Com a rede de geoparques, o conceito de património geológico ganha uma dimensão mundial, inserindo o conceito de geoturismo num contexto mais abrangente.

Geoturismo Arouca Geopark
Arouca Geopark

Alguns exemplos do que pode incluir um percurso geoturístico:

– visita a locais com elevado valor paisagístico apoiada com informação sobre como os processos geológicos foram moldando essas paisagens ao longo de milhões de anos. Compreender a topografia das nossas paisagens, a formação de vales e montanhas. Conhecer segredos escondidos nos retalhos da nossa costa. Perceber a existência de vestígios marinhos localizados a centenas de metros de altitude e a centenas de quilómetros dos oceanos atuais. Conhecer a ciência por detrás de paisagens fantásticas; 

– conhecer o património geológico e os processos que lhe deram origem, respeitando e salientando a importância da sua preservação;

– descobrir como a geologia e a geomorfologia moldam os ecossistemas, colocando barreiras ou facilitando a dispersão da fauna e flora;

– visita a locais arqueológicos, salientando a importância dos recursos naturais na distribuição e evolução dos povos;

– itinerários em centros urbanos proporcionando o conhecimento da sua história geológica e a forma como ela condicionou o desenvolvimento urbano. Descobrir a importância da geologia na arquitetura e no aspeto das nossas cidades;

– percursos em polos industriais e áreas mineiras. Dar uma perspetiva sobre a forma como os recursos geológicos influenciaram a fixação dos povos e o desenvolvimento económico de determinada região. Destacar o impacto ambiental da exploração dos recursos naturais, reiterando a importância da reutilização, reciclagem e redução dos hábitos de consumo.

E o Geoturista?

O conceito de geoturista poderá confundir-se facilmente com o de ecoturista. Com maior ou menor grau de especialização, os geoturistas procuram conhecer melhor o mundo que os rodeia. Procuram experiências únicas e culturalmente autênticas que respeitem o património geológico, natural e histórico-cultural.

O geoturismo ao promover o lazer e bem estar, associado ao conhecimento e sustentabilidade, deve adaptar-se a uma população mais vasta. Sejam pequenos grupos de viajantes ou viajantes solitários, famílias, grupos de amigos, empresas e instituições, com menor ou maior grau de conhecimento, todos poderão ser geoturistas.

Sendo o conhecimento científico um dos principais pilares das experiências geoturísticas, a comunidade escolar poderá ser um dos principais grupos a beneficiar do geoturismo. Roteiros geoturísticos poderão adaptar-se facilmente a diferentes planos curriculares e a diferentes faixas etárias. São uma oportunidade para a aquisição de conhecimento em ambientes mais informais, ao ar livre e num contexto mais realista.

Geoturismo
Exemplos do que se pode conhecer em percursos geoturísticos

O geoturismo deve ir além da compreensão e descrição do património geológico de um determinado local. Deve, sobretudo focar-se nas relações entre o património geológico, o natural e histórico-cultural de uma determinada região, onde o desenvolvimento sustentável assume um papel essencial. É uma forma de voltar a conectar a sociedade com o nosso planeta e mostrar como este, ao longo dos seus 4600 milhões de anos, tem vindo a moldar não só as nossas paisagens, mas diversos aspetos da nossas vidas e da sociedade.

Até já…

Leave a Reply

Your email address will not be published.